Óleo de Onagra: Vantagens e Propriedades

O óleo de onagra é extraído das sementes da onagra (Oenothera biennis), uma planta nativa da América do Norte. O nome é oriundo das suas flores amarelas, que florescem à noite.

O óleo contém ácido gama-linolenico (GLA) e outros ácidos gordos ómega-6 que têm propriedades anti-inflamatórias e aliviantes da dor, ou analgésicos.

Este artigo explora a pesquisa disponível sobre o óleo de onagra, o que é geralmente tomado, e potenciais efeitos colaterais. Também vai aprender sobre dosagens comuns e como armazená-la com segurança.

Para que é usado o óleo de onagra?

O óleo de onagra não é um dos óleos essenciais comumente usados para aromaterapia. Pelo contrário, é um que pode ser tomada pela boca.

Os prestadores de cuidados de saúde alternativos acreditam que o óleo de onagra pode ajudar no tratamento de numerosas condições de saúde, incluindo condições de pele, dor nervosa e articular.

É também, por vezes, tomado para a síndrome pré-menstrual (SPM), sintomas que conduzem a períodos menstruais, transição para a menopausa, ou o fim da menstruação.

Muitos destes benefícios potenciais são atribuídos à ABL, um ácido gordo encontrado em soja, nozes, sementes e óleos vegetais como colza, canola e óleos de linhaça.

Algumas das reivindicações são apoiadas por estudos, mas a investigação é limitada em geral.

Óleo de Onagra

Condições Menstruais

O óleo de onagra é geralmente recomendado para a dor cíclica do peito, que está ligado ao ciclo menstrual e ocorre cerca de uma semana antes do seu período.

A investigação sobre este uso é mista, mas sete dos 10 estudos clínicos incluídos numa pesquisa de 2019 sugeriram que o óleo de onagra era útil para a dor mamária.

Por exemplo, um estudo descobriu que as mulheres que tomaram 2 gramas de óleo de onagra ou 2 g de óleo de onagra mais 400 vitamina, por dia, durante seis meses tiveram ligeiras melhorias na gravidade da sua dor mamária em comparação com as que tomam um placebo, ou um tratamento fraudulento.

O óleo de onagra também é por vezes usado para outros sintomas de SPM ou para aliviar as cólicas menstruais. No entanto, até à data, não há evidências conclusivas que suportem estas alegações.

Menopausa

O óleo de onagra tem sido usado há muito tempo para tratar ondas de calor durante a transição para a menopausa. Estes sentimentos repentinos de calor extremo na parte superior do corpo são uma forma de descarga causada por alterações hormonais que podem ser devido a níveis reduzidos da hormona estradiol.

Embora o corpo de provas seja misto, um estudo de 2013 publicado no “Archives of Gynecology and Obstetrics” descobriu que uma dose diária de 500 miligramas (mg) de óleo de onagra proporcionava um modesto alívio das ondas de calor após seis semanas.

Embora a gravidade das ondas de calor tenha melhorado quando comparada com as que receberam um placebo, a duração e frequência dos episódios não.

Óleo de Onagra

Condições da Pele

O eczema, também conhecido como dermatite atópica, é uma condição da pele que causa a pele escamosa e inflamada.

Na década de 1980, o óleo foi fortemente apontado como um tratamento eficaz para o eczema pelo empresário canadiano David Horrobin.

Apesar de uma resposta positiva dos consumidores, muitas das alegações foram desde então desmentidas pela investigação.

De acordo com uma revisão de 2013 de estudos da Faculdade de Medicina da Universidade de Minnesota, o óleo de onagra não provou ser mais eficaz no tratamento do eczema do que um placebo em cada um dos sete ensaios revistos.

Muitas das mesmas conclusões foram tiradas quando se investigam a eficácia do óleo de onagra no tratamento da psoríase, uma condição que causa manchas escamosas e comichão da pele, ou acne, uma condição em que os poros ficam entupidos com óleo e células mortas da pele.

Artrite reumatoide

A artrite reumatoide (AR) é um tipo de doença autoimune, ou seja, uma em que o sistema imunológico ataca as suas próprias células e tecidos. Com a AR, o corpo ataca principalmente as suas próprias articulações.

Alguns estudos sugerem que a ABL pode reduzir a dor e melhorar a função em pessoas com artrite reumatoide leve a moderada. A maioria dos resultados até à data têm sido, na melhor das hipóteses, modestos.

Uma revisão de 2011 de estudos da Austrália concluiu que a ABL encontrada na onagra, sementes de boragem ou óleo de sementes de groselha preta proporcionava um alívio moderado da dor e da incapacidade em pessoas com artrite reumatoide.

Os resultados mais promissores foram observados em pessoas que usaram medicamentos anti-inflamatórios não esteroides (NSAIDs) ao mesmo tempo, desencadeando uma ligeira melhoria na rigidez matinal e no movimento articular.

Neuropatia Diabética

Em 1993, o óleo de onagra foi proposto pela primeira vez como um possível tratamento da neuropatia diabética, um tipo muitas vezes debilitante de dor nervosa que afeta principalmente os pés e as pernas. Desde então, tem havido provas mínimas para apoiar estas afirmações.

Óleo de Onagra

Um estudo indiano de 12 meses envolvendo 80 pessoas com neuropatia diabética grave analisou o tratamento. Concluiu que uma dose diária de 500 a 1.000 mg de óleo de onagra combinada com 400 mg de vitamina E alcançou o alívio da dor em 88% dos participantes.

Por muito promissoras que fossem, as conclusões eram limitadas pela falta de um grupo de controlo (placebo) para fazer uma comparação justa. Ainda assim, as descobertas foram significativas o suficiente para justificar mais investigações.

Osteoporose

Um aumento da ingestão de gordura insaturada está associado a um risco reduzido de osteoporose, que é a perda mineral óssea que faz com que os ossos se tornem fracos e frágeis. Esta condição afeta especialmente as mulheres após a menopausa.

O óleo de onagra é composto quase inteiramente de gordura insaturada e acredita-se que alguns contrariam a perda óssea observada nas mulheres com osteoporose.

Um estudo de 18 meses da África do Sul relatou que o uso combinado de óleo de primrose, óleo de peixe e suplementos de cálcio desacelerou ou inverteu a perda óssea em mulheres mais velhas (idade média de 79 anos) em comparação com um grupo de controlo de mulheres de idade semelhante dada um placebo.

De acordo com a pesquisa, as mulheres dada a combinação de tratamento experimentaram um aumento da densidade óssea femoral (coxa) de 1,3% (contra uma perda de 2,3% no grupo placebo).

Enquanto a densidade óssea da coluna lombar, ou parte inferior das costas, permaneceu inalterada no grupo de óleo de primrose, o grupo placebo experimentou uma diminuição de 3,2% na densidade óssea.

Anda à procura de um bom óleo essencial para si? Leia este artigo sobre o Óleo de Jojoba e os seus benefícios para a saúde.

Resumo

Há alguma pesquisa que apoia o uso de óleo de onagra para certas condições que causam dor. Mas como os estudos são limitados e muitas vezes mistos, não se podem tirar conclusões firmes sobre os benefícios.

Se estiver interessado em experimentar o óleo de onagra, discuta-o sempre com o médico e mencione quaisquer medicamentos que esteja a tomar e condições que tenha para evitar efeitos colaterais.

Close
Miss Abacate © Copyright 2022.
Close