As melhores Suculentas de Sol

As suculentas tornaram-se bastante conhecidas pelas suas capacidades de resistência à seca e armazenamento de água, que lhes permite resistir ao calor intenso e forte exposição solar mas mesmo assim é necessário ter alguns cuidados com suculentas para as manter vivas e felizes. Apesar de ser verdade para a maioria das suculentas, existem algumas espécies que não conseguem tolerar uma intensa exposição solar sem proteção, podendo sofrer alterações/danos aquando da exposição a muito sol/calor. ( Suculentas de Sombra)


Assim, apresentamos de seguida os nossos 10 principais cactos e suculentas que, quando comparados com outros, são capazes de tolerar uma intensa exposição solar, conseguindo desenvolver-se sob essas mesmas condições.  

Figo da Índia

Opuntia, ou como é vulgarmente conhecida por Figo da Índia, é uma planta de crescimento lento que pertence à maior espécie da família dos cactos. São fáceis de cultivar e são, muitas vezes, reconhecidos pela sua aparência, que adquire várias texturas, formas e um aspeto único não só em vasos/canteiros com outras plantas, como também sozinho. 

Luz necessária: Sol pleno a sombra parcial

Toxicidade: Não é tóxico para animais

Suculentas de sol Portugal Figo da india

Sempervivum

Grupo de suculentas elegantes, que produzem rosetas de folhas suculentas e que estão, normalmente, cobertas por cabelos brancos. Além disso, são muito resistentes e conseguem abrilhantar qualquer conjunto, principalmente nos vasos/canteiros, o que as torna um dos grupos de suculentas mais conhecidos para cultivar.

Luz necessária: Luz forte a Sol pleno

Toxicidade: Não é tóxica para animais e humanos

 Cacto cabelo ou cabeça de velho

Se estiver à procura de um jardim bonito e com carácter, deverá considerar plantar um Cacto Cabelo de Velho. Estes cactos são compostos por cabelos acinzentados, longos e enovelados que os farão destacar-se em qualquer ambiente. Para além disso, são de muito fácil cultivo e bastante resistentes.

Zonas de Capacidade de Resistência: 9 e 10

Luz necessária: Luz forte a Sol pleno

Toxicidade: Não é tóxico para a animais e humanos

 Cacto cabelo ou cabeça de velho

Giz azul

Esta suculenta fascinante é, não só muito apelativa visualmente, como também de muito fácil crescimento. Possui um revestimento incrível, semelhante a pó translúcido, com tonalidade azul, que ficará esplendidamente bonita em qualquer arranjo, especialmente quando misturado com outras plantas prateadas, roxas ou azuis.

Luz necessária:  Luz forte ou parcial durante, pelo menos, 6 horas por dia.

Toxicidade: É tóxica para animais e humanos.

Aeonium

Um grupo de suculentas único e sensível e são, sem dúvida, das plantas mais fascinantes e procuradas enquanto plantas de interior. Têm folhas finas, em forma de colhe e/ou folhas em forma de lança, geralmente em bordô ou tons de verde, que transmitem originalidade a qualquer ambiente. Para além disso, são de bastante fácil cultivo, tornando-as adequadas para jardins interiores ou exteriores.

Luz necessária:  Sol pleno a sombra parcial

Toxicidade: Não tóxica para animais e humanos

suculentas de sol AEONIUM

Agave

Agave é uma suculenta de crescimento lento, que tem folhas grandes com margens espinhosas e que dá origem a flores em forma de sino e de longa duração, em tons de branco, amarelo e verde. São ainda de baixa manutenção e bastante adaptáveis, tornando-as adequadas para cultivar na terra ou num vaso.

Luz necessária: Sol pleno a sombra parcial

Toxicidade: Planta tóxica para animais e humanos.

Echeveria

Com a sua aparência única e baixa necessidade de manutenção, estas fantásticas suculentas têm-se vindo a tornar uma das plantas mais populares para interior. A sua admirável forma de roseta, folhas suculentas e dezenas de cores diferentes torna-as bastante apelativas para a decoração.

Luz necessária: Sol pleno a sombra parcial

Toxicidade: Maioria das Echeveria não são tóxicas para gatos e cães

Suculentas de sol Echeveria

Cacto barril dourado ou bola de ouro

Este cacto, premiado, é uma espécie atrativa e alegre, que forma um caule em forma de barril, verde claro, com espinhos brilhantes e dourados. Com o tempo, a forma cilíndrica do cacto vai-se transformando numa forma alongada, que se inclina, para que os espinhos possam proteger melhor a sua estrutura. Esta soberba e deslumbrante suculenta, quando colocada perto de plantas azuis, acrescenta textura, cor e forma.

Luz necessária: Sol pleno a sombra parcial

Toxicidade: Não tóxica para animais e humanos

Kalanchoe thyrsiflora

A Kalanchoe thyrsiflora é a suculenta mais dramática e moderna pelo seu aspeto extravagante e a sua cor intensa durante o Inverno. Tem folhas planas, de cor verde, com margens cor de vinho vibrantes, organizadas em camadas, formando uma roseta, parecida com conchas. É uma suculenta bastante persistente para cultivar em jardins costeiros ou no Mediterrâneo. Para além disso, também fica bem em vasos, nos quais se pode fazer arranjos com outras plantas.

Luz necessária: Sol pleno a sombra parcial

Toxicidade: Folhas e raízes são venenosas; As flores são a parte mais tóxica.

Suculentas de sol FLOR DA FORTUNA

Rabo-de-burro

Com os seus longos e luxuosos caules, o Rabo-de-Burro é normalmente cultivado num vaso suspenso, onde pode ficar pendurado e oscilar livremente. Esta bonita suculenta cresce até 10 centímetros de comprimento e, com o tempo, vai engrossando devido à sobreposição dos caules com as folhas carnudas. Esta sobreposição forma um padrão entrelaçado, o que a torna uma ótima escolha para acrescentar carácter a uma parede ou varanda.

Luz necessária: Luz solar forte e indireta

Toxicidade: Não tóxica para animais e humanos

Pontos importantes para cultivar suculentas de sol

As suculentas são plantas coloridas e distintas que armazenam água nas suas folhas ou caules, permitindo-lhes uma capacidade de sobrevivência em ambientes hostis durante longos períodos. Apesar da opinião comum, a maioria das suculentas não consegue florescer sob temperaturas extremas e exposição a sol direto sem cuidados e atenção extra.

Tipos de suculentas de sol

Dado que nem todas as espécies conseguem sobreviver quando expostas diretamente ao sol e que alguns ambientes hostis podem danificar algumas suculentas, a escolha do local tem que ter em conta o tipo de suculenta. Por isso, antes de colocar as suas suculentas ao sol, é preferível fazer uma pesquisa.

Por exemplo, se a suculenta em questão for uma Aeonium, que é uma suculenta que se desenvolve no Inverno, poderá encontrar alguns problemas durante o Verão, que é o seu período de latência. Por outro lado, os cactos preferem temperaturas mais quentes e conseguem tolerar o calor extremo. Contudo, se estiver a procurar outra planta que não seja um cacto, poderá considerar Agaves, Giz Azul ou Echeveria, uma vez que estas suculentas se aguentam bastante bem em ambientes quentes.  

Também poderá ter em consideração as suculentas que as pessoas da sua zona têm, uma vez que existe uma maior probabilidade de esse tipo de suculentas conseguirem tolerar melhor as temperaturas da sua zona.

Idade e tamanho da suculenta

Um dos principais fatores que deverá ter em conta ao cultivar suculentas no exterior é a sua idade e tamanho, uma vez que quanto maiores, menos serão afetadas pelas temperaturas altas. Isto porque suculentas grandes já têm as suas raízes bem desenvolvidas, o que as irá ajudar a sobreviver em ambientes hostis.

Em relação às suculentas mais novas e mais pequenas, bem como acabadas de plantar ou de cortar, irá ser necessária mais atenção, uma vez que se podem queimar mais depressa e morrer. Existe uma maior probabilidade de isto ocorrer se forem se estiverem expostas a temperaturas de 32ºC durante muito tempo.

Vasos vs terra

Plantar as suculentas na terra é a melhor forma de as fazer crescer em ambientes exteriores. Isto fará com que elas se mantenham mais frescas, uma vez que o solo não irá aquecer de imediato, tornando possível a sua sobrevivência sob condições hostis.

Contudo, se preferir cultivar suculentas em vasos, vigie de perto e transfira-as assim que observar que o ambiente em que se encontram se começa a tornar muito agressivo/ hostil.

Isto pode acontecer porque as suculentas cultivadas em vasos apenas podem estar sujeitas ao calor durante um curto período e, se forem deixadas muito tempo no exterior, a 37ºC, não demorará muito tempo até que as folhas aqueçam, sequem ou queimem, principalmente se estão expostas a luz solar direta.

Pode ainda criar um terrário de suculentas para colocar em sua casa mas terá de ter bastante mais cuidado devido à retenção de àgua dentro do terrário e de como rega as suas suculentas.

Suculentas de sol   no nosso jardim Portugal

Dê tempo para se adaptarem

Apesar das suculentas serem conhecidas por gostarem de sol, colocá-las directamente à luz solar irá, provavelmente, causar um grande choque devido às mudanças do ambiente. Isto pode ainda causar queimaduras, que, eventualmente, provocam a morte das suculentas.

De modo a prevenir esse choque, deverá permitir que as suculentas permaneçam no novo ambiente, pelo menos 2 a 3 semanas, para que se habituem, principalmente à nova quantidade de luz solar.

Esteja atento/a aos sinais

As suculentas são plantas bastante sensíveis. Costumam, normalmente, apresentar sinais evidentes que demonstram que estão num ambiente muito hostil para o seu crescimento. 

Por isso, se verificar que as suculentas estão a murchar ou a ficar danificadas pelo sol, coloque-as sob algum tipo de proteção, como por exemplo debaixo de um pano semitransparente. Contudo, a melhor proteção será sempre movê-las para um local com menor luz solar durante um tempo e, gradualmente, expô-las novamente a Sol direto durante algumas semanas.

Close
Miss Abacate © Copyright 2021.
Close